Restaurando cabine Metro

Veja a restauração do caminhão com cabine METRO encontrado em Rio Grande (RS).

Este caminhão foi fotografado em 1990 por Miklos Stammer em Bagé, trabalhou durante muitos anos no transporte de cerveja.

100 0320

O caminhão foi encontrado já bastante alterado no porto de Rio Grande -RS, no ano de 2009.

No transporte de container, com muitas peças em fibra, acima do vidro e na frente do teto  a lata já se foi. Muitas peças de lataria não mais existem.

100 0320

Pouco antes de ser restaurado, trabalho duro em Rio Grande (RS).

Imagem0000

A parte do painel traseiro deverá ser substituído a original sem condições de restaurar.

Imagem de foto 026

Um novo painel é colocado, este painel não necessitará de massa para acerto de pintura. Note os 3 vincos presentes em todas cabines standard e Metro.

Os vincos no Metro vão até a divisória do painel, enquanto o cabine standard termina bem antes do fim do painel.

Um detalhe importante é que os vincos estão em posições diferentes da cabine Metro e standard, no primeiro vinco do Metro e bem junto a divisão superior da cabine.

Imagem de foto 034

Uma nova folha de porta foi necessária, a antiga não mais existia, era de fibra.

Imagem de foto 028

A tampa da caixa de fuzível tem a entrada de ar, presente nos caminhões até 1962, juntamente com o apoio de pé, equipamento que causava acidentes.

Imagem de foto 038

O desenvolvimento de bancos com tamanho e formato conforme modelo original.

Imagem de foto 036

Imagem de foto 035

A cabine já com aspectos finais de restauração, o teto foi trocado e moldado corretamente.

Note que não é empregado massa plástica, somente o fundo PU será o suficiente para retirar pequenas imperfeições.

O uso de estanho para cantos e pequenos defeitos será utilizado.

Imagem de foto 068

A cabine recebe uma proteção anti corrosão antes do trabalho de preparação.

Imagem de foto 030

A cabine agora vai para o teste de encaixe no chassis, trata-se de um V6 original sem uso, ano 1958 com nota fiscal de compra.

Imagem de foto 170

Nesse momento são efetuados ajustes nos suportes inferiores da cabine para finalizar o processo de restauração de funilaria. Isso é necessário para que a cabine não fique torta no chassi.

Imagem de foto 169

A cabine já preparada recebe sua cor final.

DSC00602

A primeira demão de tinta, será da cor cinza claro, presente em algumas versões antigas.

A cor do teto será pintada de branco em uma segunda etapa.

DSC00596

A pintura interna deverá ser reforçada.

DSC00600

O teto e os paralamas já recebem a cor final branca.

DSC00619

As molduras dos faróis em sua cor final.

DSC00633

Os suportes originais já foram ajustados no chassis.

DSC00631

Nesse momento será polida internamente para o início dos trabalhos de tapeçaria. Cama com forração original encontrada em um caminhão servirá de base para o desenvolvimento dos revestimentos dos bancos.

DSC00637

O chassis já pintado, passa agora pela montagem dos canos de ar e revisão do sistema de freio.

DSC00653

O sistema de freio e rolamentos sendo lubrificados.

DSC00652

O diferencial será com tampa e as letras FNM em alto relevo, original do ano 1958. Note o reforço interno do chassis. Obrigatório para cavalo mecânico e caçamba. Este reforço era original e somente saía nesta versão de chassis.

DSC00656

O tanque com as medidas exatas e formato originais FNM, agora com material galvanizado para evitar ferrugem.

DSC00659

O motor utiliza bomba injetora SPICA de regulador comprido, estas são as primeiras bombas utilizadas no Brasil pela FNM. O compressor é westinghouse.

DSC00658

A cabine vai tomando forma definitiva.

DSC00713

Os detalhes vão sendo restaurados de acordo com o original. Os vincos do painel traseiro e sua disposição.

DSC00716

A diferença interna da cabine Metro com as demais é muito grande.

DSC00714

A cabine agora aguarda o serviço de tapeçaria. Alguns detalhes já começam a serem colocados em definitivo.

DSC00849

A cabine Metro é a cabine com maior número de peças separadas de todos os caminhões FNM. Os detalhes são importantes no processo de montagem. A tapeçaria somente pode ser iniciada após a montagem desses componentes.

DSC00852

DSC00850

O diferencial já está montado (passo médio), as rodas pintadas.

Imagem de foto 080

Todo sistema de freio já pronto, inclusive o freio de estacionamento original.

Imagem de foto 081

Imagem de foto 083

Tanque original com o pescador de combustível marca FNM.

Imagem de foto 085

Cardã original.

Imagem de foto 084

O filtro de óleo lubrificante fica ao centro do motor (lado esquerdo). Os bicos são SPICA e o filtro combustível quadrado (final do motor sob a capa seca).

Imagem de foto 087

A bomba é SPICA do regulador comprido, o que permitia o motor de aranque ser do lado direito. Isto era comum nos primeiros FNMs.

É perigoso esse tipo de instalação, pois qualquer vazamento será sob o motor de aranque com risco de incendio. O compressor é Westinghouse.

Imagem de foto 088

A cabine aguarda a montagem do motor, em seguida será colocada em seu lugar e dará o processo de instalação elétrica.

Imagem de foto 091

O chassis já aguardando a cabine.

DSC01089

Detalhes do diferencial e as cuicas de freio.

Imagem de foto 043

A cabine sendo montada no chassis.

Imagem de foto 046

Vista por debaixo da cabine.

Imagem de foto 048

Imagem de foto 054

Por debaixo do pneu dianteiro direito.

Imagem de foto 093

Imagem de foto 101

DSC01176

DSC00019

 

O primeiro banho.

DSC01265

DSC01266

DSC01272

DSC01273

DSC01275

DSC01279

DSC01277

A bomba SPICA (Italiana) e o compressor Westinghouse, trabalhando firme.

DSC01283

O suporte do copinho do diesel está ligado ao escapamento. Note que a bomba injetora é do regulador comprido. Original de época.

DSC01284

About these ads

Os comentários estão desativados.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 219 outros seguidores